Os pais têm obrigação de pagar mesada aos filhos?

agosto 11 10:34 2010 Imprimir este Artigo
Publicidade

Os pais têm obrigação de pagar mesada aos filhos?

* Por Álvaro Modernell

Sim, desde que tenham assumido esse compromisso.

A mesada, por si, não é uma obrigação de pais para filhos. Isso não está previsto na legislação nem no Estatuto do Menor e do Adolescente. Não está escrito em nenhum lugar. Também não é um compromisso moral ou tácito. Mas, se um dia esse acordo for assumido entre pais e filhos, então, terão que pagar e na forma que for combinado.

Compromissos devem ser honrados, principalmente diante dos filhos. Ainda mais se forem relacionados a dinheiro. Isso é um dos fundamentos básicos da educação financeira. Dizem que dívidas de jogo são sagradas, mas acho que sagradas são as dívidas com os filhos. Inclusive as de mesada.

A mesada é um instrumento de educação financeira que pais, avós, tios ou padrinhos assumem voluntariamente com as crianças. Há quem questione a idade que deve se começar a pagar mesada às crianças, relacionando à falta de maturidade de algumas para lidar com o próprio dinheiro.

Mas poucas vezes se vê esse tipo de questionamento em relação aos pais. Será que todos os pais estão preparados para dar mesada aos filhos? Pois é… Para dar mesada também é preciso preparo, conscientização, organização e responsabilidade.

Os pais devem saber que seu exemplo influencia diretamente à formação da personalidade e do caráter dos filhos, inclusive nas relações com o dinheiro. Então, pais que assumem e cumprem compromissos com os filhos passam-lhes uma mensagem de responsabilidade. A chance de seus filhos serem bons pagadores e pessoas de palavra, por exemplo, torna-se maior.

Por outro lado, pais que negligenciam datas de pagamento, que barganham valores, que atrasam ou adiantam os pagamentos estão “dizendo” indiretamente aos filhos que compromissos podem ser descumpridos. Estão mostrando que a inadimplência sistemática é tolerável, no conceito deles. Que os devedores podem ser irresponsáveis. Que a desorganização financeira é algo natural. Que cada um pode pagar quando e quanto quiser dos seus compromissos. Das suas dívidas.

Não, não é essa a mensagem que deve ser passada aos filhos por meio da mesada. Com relação às datas de pagamento, os pais devem respeitar rigorosamente, como se fosse um empréstimo bancário. Prometeu pagar aos domingos, ou todo dia 5, então pague nessas datas. Nem antes, nem depois. Prometeu pagar R$ 10, R$ 20 ou R$ 50 de mesada? Pague esses valores. Nem mais nem menos. Nada de usar desculpas como “esqueci de sacar” ou “não tenho trocado”. Saia de casa, vá ao caixa eletrônico, carregue o cartão da mesada, faça o que for necessário, mas não deixe de pagar em dia a mesada. Muito menos de querer justificar o não pagamento atribuindo a culpa à criança, como por causa de mau comportamento ou baixo desempenho na escola. Ainda mais se for uma desculpa furada.

Na eventualidade de algum atraso, pague multa e juros por isso. E dos caros. No caso de eventual pedido de adiantamento, caso você concorde isso, negocie juros, ou seja, desconte uma parte. Isso mesmo! É importante que as crianças aprendam que dinheiro tem um custo no tempo e a desorganização financeira geralmente resulta em gastos. Por isso, o melhor é que elas aprendam a organizar e respeitar o próprio orçamento, baseado no valor e na periodicidade da mesada que foi acordada com os pais.

Mas, para que possam se organizar e acreditar na importância do planejamento, elas precisam confiar na regularidade dos recebimentos. Precisam acreditar na pontualidade dos pais. Precisam acreditar que os pais levam esse assunto de mesada a sério.

Se os pais têm obrigação de pagar mesada aos filhos? Sim, desde o dia em que assumem esse compromisso.

* Álvaro Modernell é especialista em educação financeira, palestrante, autor de vários livros, projetos, cartilhas e artigos sobre educação financeira, além de sócio fundador da Mais Ativos Educação Financeira e coordenador do portal www.edufinanceira.com.br, referência nacional na área.

  Categories:
ver mais artigos

Sobre o autor

Editor
Editor

Editor, Gerenciador de Conteúdo.

Ver mais artigos