A professora e pesquisadora Maria Tereza Sadek, docente da USP, diz que sociedade exige juiz protagonista, e não aquele encastelado

A professora e pesquisadora Maria Tereza Sadek, docente da USP, diz que sociedade exige juiz protagonista, e não aquele encastelado
abril 18 13:30 2011 Imprimir este Artigo
Publicidade

Sadek diz que sociedade exige juiz protagonista, e não aquele encastelado

A professora e pesquisadora Maria Tereza Sadek, docente da USP, atualmente consultora do Departamento de Pesquisas do CNJ, participou nesta tarde (15/4) do painel que discutiu os “Sistemas de Avaliação nos Cursos de Formação”, integrante da programação do Encontro Nacional de Capacitação Judicial, em Florianópolis. Em sua explanação, a professora fez questão de desmistificar a ideia de que avaliação possa ser compreendida como punição.

Para ela, ao contrário, avaliar é uma excelente oportunidade para o desenvolvimento e aperfeiçoamento, seja individual, seja institucional. “Avaliação é um imperativo republicano”, afirmou. Neste sentido, complementa, a avaliação deve ser compreendida como verdadeiro feedback, capaz de transformar-se em aperfeiçoamento constante. A própria forma de recrutamento dos juízes, por meio de concurso público, tem por base um sistema de avaliação que leva em conta, principalmente, a qualidade técnica do futuro magistrado. Ainda que na atualidade, acrescenta, o perfil ideal do juiz exija mais do que o domínio da técnica, para total compreensão das relações em sociedade.

“Hoje se exige um juiz protagonista, que não seja um simples aplicador da lei, mas alguém capaz de interpretar e atender as exigências e complexidades dos chamados novos direitos”, diz. Não há mais espaço, em sua concepção, para o tradicional magistrado encastelado, de ouvidos moucos e olhos fechados. “Tão anacrônico quanto isso, só mesmo o antigo dito de que o que não está nos autos não está no mundo”, finaliza.

Fonte: TJSC

  Article "tagged" as:
  Categories:
ver mais artigos

Sobre o autor

Editor
Editor

Editor, Gerenciador de Conteúdo.

Ver mais artigos

Nenhum comentário!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Adicionar um Comentário

Expresse aqui sua opinião comentando.