Inadimplência cresce pelo quarto mês consecutivo, e alta já chega a 3,61% no ano

Inadimplência cresce pelo quarto mês consecutivo, e alta já chega a 3,61% no ano
junho 10 10:42 2011 Imprimir este Artigo
Publicidade

A inadimplência do consumidor registrou alta de 8,21% em maio de 2011, na comparação com o quinto mês de 2010, segundo dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Foi a quarta elevação seguida da taxa em 2011 frente os resultados do ano anterior, o que causa preocupação do comércio e reforça a cautela do varejo para os próximos movimentos da inadimplência, conforme avaliação do economista e presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Roque Pellizzaro Junior.

“O sinal que já estava amarelo ficou ainda mais preocupante, e não só o governo que tem que agir, mas também os empresários do varejo, não concedendo crédito além da capacidade do consumidor em honrar seus compromissos. É bom para o lojista, para o consumidor e para o Brasil, porque evita a formação de bolhas”, explica.

Nos cinco primeiros meses do ano, a inadimplência já acumula alta de 3,61%, após iniciar o ano em baixa de 10,09%, em razão sobretudo do ciclo de aperto monetário, com o aumento pela quarta vez consecutiva da taxa de juros básico pelo Comitê de Política Monetária (Copom), e as medidas de contenção de crédito adotadas ainda no fim de 2010 pelo Banco Central.

A comparação com o mês de abril mostrou uma queda da inadimplência de 0,27%, segundo explicou Pellizzaro Junior, em face da proximidade do Dia dos Namorados, e a tendência do brasileiro em honrar compromissos para pode manter-se ativo no consumo. “Também influenciou positivamente o consumo do Dia das Mães, que é a segunda melhor data para o varejo no ano, e que pressiona o brasileiro a se manter adimplente para continuar ativo no comércio”, diz.

Em relação às consultas no SPC Brasil, que refletem em certa medida o nível de atividade no varejo, maio apresentou alta de 7,76% ante igual mês de 2010, a segunda elevação seguida na mesma base de comparação, reforçando a tendência de otimismo nas vendas para o restante do ano.

Em cinco meses, o resultado acumulado das vendas a prazo e no crediário, principais elementos da consulta do SPC Brasil, já registra elevação de 4,12%, ante crescimento acumulado de 2,77% registrado até abril, o que indica a tendência de forte elevação da atividade.

Contra abril, o indicador também apresentou forte alta, de 17,66%.

Os números de cancelamento de registros, que dão medida ao nível de recuperação de crédito no varejo, também foram positivos em maio, apresentando uma alta de 7,36% ante o mesmo mês de 2010.

O maior volume de cancelamentos também decorre do cenário aquecido de vendas, uma vez que o consumidor tem de estar adimplente para manter seu consumo nas compras a prazo.

Ante o mês de abril, igualmente houve alta nos cancelamentos de CPFs inscritos no cadastro de devedores do SPC Brasil, de 9,67%, dado que reforçou o bom resultado também no acumulado do ano, com elevação de 3,84%.

Os dados referentes ao sexo e faixa etária dos devedores, além de detalhes como número de parcelas em atraso e tempo de quitação das dívidas, serão divulgados posteriormente pelo SPC Brasil, em data ainda a ser confirmada.

Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas – CNDL

Serviço de Proteção ao Crédito – SPC Brasil

  Article "tagged" as:
  Categories:
ver mais artigos

Sobre o autor

Editor
Editor

Editor, Gerenciador de Conteúdo.

Ver mais artigos

Nenhum comentário!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Adicionar um Comentário

Expresse aqui sua opinião comentando.