Justiça capixaba reconhece direito de transportadores de cargas

by Editor | 19 de abril de 2013 8:23

Justiça capixaba reconhece direito de transportadores de cargas ao aproveitamento de créditos de ICMS

Tribunal de Justiça do ES autoriza o aproveitamento de créditos de ICMS por empresa que apura o tributo pelo regime de crédito presumido

Importante decisão, proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo (TJES), reconheceu o direito de uma empresa de transportes de cargas, estabelecida em Minas Gerais e com filial no Espírito Santo, ao aproveitamento de créditos do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), proporcionalmente à base reduzida, apurada conforme o Convênio ICMS 106/96.
Segundo tal convênio, fica concedido aos estabelecimentos prestadores de serviço de transporte um crédito de 20% do valor do ICMS devido na prestação, que será adotado, opcionalmente, pelo contribuinte, em substituição ao sistema de tributação previsto na legislação estadual (débito e crédito). Ainda de acordo com a norma, o contribuinte que optar pelo benefício previsto no caput não poderá aproveitar quaisquer outros créditos.
No entanto, em decisão proferida no último dia 02 de abril, a 1ª Câmara Cível do TJES reconheceu a inconstitucionalidade da vedação ao aproveitamento de créditos de ICMS concomitantemente com a fruição do crédito presumido. No acórdão, publicado no Diário da Justiça do último dia 15/04, a relatora do caso, Desembargadora Elisabeth Lordes, entendeu que a restrição é ofensiva ao princípio da não cumulatividade.
Segundo a Desembargadora, “a solução mais apropriada para o caso, então, é permitir um estorno proporcional, compensando-se somente o valor que foi efetivamente recolhido a título do mesmo imposto. Assim, tal sistemática encontra-se perfeitamente de acordo com o espírito do tributo, que é o da não cumulatividade, e ela está respeitada”.
De acordo com o advogado tributarista Eduardo Arrieiro Elias, sócio da Andrade Silva Advogados, que defende a empresa, a decisão é muito importante, pois assegura à empresas o aproveitamento de créditos que podem gerar significativa economia fiscal.
Segundo Arrieiro, “a vedação ao aproveitamento proporcional dos créditos de ICMS atenta contra a não cumulatividade, da forma como interpretada pelo STF, que admite, em casos de benefícios parciais, o estorno apenas na proporção do benefício concedido”.
Para o advogado, “o aproveitamento em conjunto do benefício do crédito presumido, com o creditamento integral do ICMS sobre os insumos no transporte, pode gerar, muitas vezes, a completa ausência de imposto a recolher, trazendo enormes vantagens concorrenciais à transportadora”.

Source URL: http://www.direitolegal.org/diario-forense/justica-capixaba-reconhece-direito-de-transportadores-de-cargas/