Bahia sedia primeira mostra nacional da Companhia de Teatro BR 116

Bahia sedia primeira mostra nacional da Companhia de Teatro BR 116
dezembro 09 08:32 2011 Imprimir este Artigo
Publicidade

Os atores Ricardo Bittencourt e Bete Coelho serão protagonistas dos três espetáculos selecionados

Em dezembro, a Companhia de Teatro BR 116 desembarca em Salvador para a primeira Mostra Nacional de Teatro, quando serão realizadas três únicas apresentações dos espetáculos Homem da Tarja Preta, O Terceiro Sinal e Cartas de Amor para Stalin.

Após vinte anos, a atriz Bete Coelho retorna aos palcos da Bahia, com o consagrado ator baiano sediado em São Paulo, Ricardo Bittencourt, para protagonizarem a Mostra. “É com muita alegria e emoção que fazemos a nossa primeira mostra nacional na Bahia. Temos uma forte ligação com esse lugar. Toda a minha formação profissional é baiana. Escolhemos Salvador por motivos muito óbvios para nós”, diz Ricardo.

A BR116 é pioneira e inovadora no mercado cultural nacional, pela atuação que alia diversidade artística e entretenimento de qualidade. Um dos focos da companhia é estimular no expectador a visão ampliada de mundo, a elaboração crítica sobre a realidade e a vontade de proporcionar o acesso à cultura para todos os públicos.

SERVIÇO:

O Homem da Tarja Preta

Texto: Contador Calligaris

Direção Bete Coelho

Dia 16/12 (sexta-feira) às 20h

Teatro XVIII

Ladeira São Miguel, 18 –  Pelourinho

O Terceiro Sinal

Texto: Otavio Frias Filho

Direção Ricardo Bittencourt

Dia 17/12 (sábado) às 20h

Teatro XVIII

Ladeira São Miguel, 18 –  Pelourinho

Cartas de Amor para Stalin – dias 20 e 21/12 às 21h (TCA)

Texto: Juan Mayorca

Direção Paulo Dourado

Dias 20 e 21/12 (terça e quarta) às 21h

Teatro Castro Alves

Praça Dois de Julho, s/n – Campo Grande

O HOMEM DA TARJA PRETA

Casado, dois filhos, Ricardo seria o típico pai de família de classe média não fosse por um detalhe: tem controvertidas fantasias sexuais que costuma exorcizar em frente à tela do computador, em salas de bate-papo. Mais: protegido pelo anonimato da Internet, passa-se por mulher e mantém animadas conversas com homens. Não bastasse isso, dá vazão ainda a outro ritual: gosta de incorporar ao visual itens do guarda-roupa feminino – É um crossdresser.

Antes de mais nada, é bom esclarecer: Ricardo não é gay, é apenas um tipo de sexualidade fértil criado pelo psicanalista Contardo Calligaris para o espetáculo ‘O Homem da Tarja Preta’.

A polêmica peça, assistida em São Paulo por quase 15 mil pessoas desde sua estreia, faz única apresentação em Salvador. Em cena, o ator Ricardo Bittencourt encara, sob a provocativa direção da atriz Bete Coelho, o que o psicanalista e agora autor teatral chama de ‘a crise do macho’.

FICHA TÉCNICA

Autor: Contardo Calligaris

Direção: Bete Coelho

Ator: Ricardo Bittencourt

Cenografia e direção de arte: Flavia Pedras Soares

Figurinista: Rodrigo Fraga. Sapato: Fernando Pires

Iluminação: Wagner Freire

Trilha sonora original: Renato Godá

Serviço

Dia 16/12 (sexta-feira) às 21h

Teatro XVIII

Ladeira São Miguel, 18 –  Pelourinho

Público: recomendado para maiores de 12 anos.
Duração: 60 minutos.

O TERCEIRO SINAL

Caixa de texto: “Dentro de alguns minutos, sem nenhuma experiência prévia, tendo decorado o texto na última semana e tomado parte em apenas três ensaios, sem ser nem desejar me converter num ator, eu estaria me apresentando diante de uma platéia pagante num dos teatros mais mitológicos do país, sob a direção do mais histórico de seus diretores.» Este é o ponto de partida do ensaio O Terceiro Sinal, no qual Frias relata sua investigação participativa no espetáculo teatral Boca de Ouro, dirigido por José Celso Martinez Correa. Partindo desse pretexto, o espetáculo conduz os espectadores a uma viagem de risco por vezes angustiante, paranóica, irônica, divertida, profunda – por entre labirintos dos processos de atuação, de momentos históricos do teatro brasileiro, revezando com depoimentos pessoais e preciosos desse culto milenar: O Teatro. Descrição: Captura de tela 2011-11-22 às 23

No espetáculo, a experiente atriz Bete Coelho interpreta um não-ator que faz o papel de um repórter investigativo numa peça de Nelson Rodrigues e que em sua vida real é um jornalista interessado em atuar e reportar os mistérios da atuação e as inconfessáveis particularidades do fazer teatral.

Deliciosamente cômico e desconfortavelmente ilário o espetáculo terá única apresentação em Salvador.

FICHA TÉCNICA

Texto: Otávio Frias Filho
Direção: Ricardo Bittencourt

Co-Direção: Muriel Matalon
Elenco: Bete Coelho
Direção de Arte: Flávia Soares
Direção de Imagem e Som: Gabriel Fernandes
Design de Luz: Michele Matalon e Carlos Moraes
Voz de Diva: Giulia Gam

Serviço

Dia 17/12 (Sábado) às 21h

Teatro XVIII

Ladeira São Miguel, 18 –  Pelourinho

Público: recomendado para maiores de 12 anos.
Duração: 60 minutos.

CARTAS DE AMOR PARA STALIN

Descrição: st.jpg

Sucesso de público e crítica em São Paulo, a última montagem da BR 116 trouxe o espetáculo inédito no Brasil “Cartas de Amor para Stalin”, do espanhol Juan Mayorga (um dos mais importantes dramaturgos da atualidade), com direção de Paulo Dourado.

O escritor russo Mikhail Bulgákov recebe uma ligação do então líder soviético Josef Stálin, em que o ditador revela admiração e disposição de resolver a situação de censura e ostracismo a que ele estava submetido. Porém, antes de um desfecho, a ligação cai. A partir daí Bulgákov tenta estabelecer contato com Stálin por meio de cartas, escritas incansavelmente, mas sem obter nenhuma resposta do ditador. Com essa obsessão, o escritor passa por um processo de paranoia, misturando realidade e alucinação.

O que acontece quando um dos maiores escritores da Russia, renuncia à ficção literária para se dedicar a escrever para um único leitor?

Cartas de Amor para Stalin,  coloca em cena um criador e seu demônio. Ou, simplesmente um homem e seu demônio.

Porque, quem já não esperou alguma vez por uma chamada?

FICHA TÉCNICA

Texto: Juan Mayorga

Direção: Paulo Dourado

Elenco: Bete Coelho e Ricardo Bittencourt

Iluminação: Wagner Freire

Projeções: Gabriel Fernandes

Trilha sonora: Kleber Nigro

Cenografia: Flavia Soares

Serviço

Dias 20 e 21/12 (terça e quarta) às 21h

Teatro Castro Alves

Praça Dois de Julho, s/n – Campo Grande

Público: recomendado para maiores de 12 anos
Duração: 95 minutos

ver mais artigos

Sobre o autor

Editor
Editor

Editor, Gerenciador de Conteúdo.

Ver mais artigos

Nenhum comentário!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Adicionar um Comentário

Expresse aqui sua opinião comentando.