Página do STF no YouTube completa uma semana com pico de audiência de 4 mil vídeos

outubro 09 19:36 2009 Imprimir este Artigo
Publicidade

Página do STF no YouTube completa uma semana com pico de audiência de 4 mil vídeos

STF – A página do Supremo Tribunal Federal (STF) no YouTube completou uma semana de vida nesta quarta-feira, 7 de outubro. Primeira Suprema Corte do mundo a ter um site oficial na comunidade de vídeos mais popular na Internet, a iniciativa tem como objetivo aproximar ainda mais o Supremo do cidadão. No dia seguinte ao lançamento do canal, em 1º de outubro, o site teve um pico de audiência de 4 mil vídeos.

A homepage disponibiliza vídeos de julgamentos que acontecem no Plenário e, por enquanto, sete programas produzidos pela equipe da TV Justiça, incluindo um feito em espanhol – Cortes Supremas –, para os países da América Latina. Outro destaque do canal é a postagem exclusiva de vídeos em que o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, responde, uma vez por mês, a perguntas enviadas por diferentes segmentos da sociedade.

Em sete dias de existência, a página oficial do Supremo no YouTube contou com 12.960 exibições de vídeo. O canal tem 492 parceiros, todos voluntários. Com relação às páginas desses parceiros no YouTube, o canal oficial do STF ficou entre os quatro mais acessados no dia 7 de outubro. Entre esses seguidores, há blogs e páginas institucionais, como o blog DNT (O Direito e as Novas Tecnologias), o blog do Promotor, os sites Eyelegal TV e do programa Via Legal, produzido pelo Conselho da Justiça Federal (CJF).

O lançamento da página oficial do Supremo no YouTube foi possível por meio de um acordo de cooperação entre a Corte e o Google Inc. A iniciativa foi classificada como “arrojada” pelo diretor-geral do Google no Brasil, Alexandre Hohagen. Ele disse ter orgulho de contribuir com o Supremo e afirmou que o novo site “mostra a transparência e a modernidade do STF”.

Por enquanto, o vídeo de estreia de perguntas e respostas foi o mais acessado pelo internauta, com 12,1% do total das exibições dos poucos mais de 300 vídeos postados no canal. No total, a entrevista foi vista 1.647 vezes. Nela, o ministro Gilmar Mendes responde a questões sobre infância e juventude, enviadas por alunos do 8º ano do Colégio Dante Alighieri, de São Paulo.

Em segundo lugar, com 5,6% do total das exibições do site, está o vídeo de destaque no dia do lançamento da página, intitulado “STF no YouTube: Justiça mais perto do cidadão”. Ao todo, foram feitas 761 visualizações desse vídeo, que exibe um breve histórico da comunicação social do STF, que na década de 90 começou a divulgar em tempo real, na Internet, as decisões da Corte.

Esse vídeo institucional e outro que mostra debate travado entre os ministros do Supremo no julgamento do pedido de Extradição feito pelo governo da Itália contra o ativista de extrema esquerda Cesare Battisti estão entre os que mais suscitaram o interesse do internauta que acessou o canal oficial do STF no YouTube nos últimos sete dias.

Mas o vídeo que liderou a atenção dos internautas mostra o advogado de Cesare Battisti, o constitucionalista Luís Roberto Barroso, afirmando que o italiano é o “bode expiatório de uma trama simples”. O julgamento começou no dia 9 de setembro deste ano e ainda não foi finalizado devido a um pedido de vista do ministro Marco Aurélio.

Perfil do público

O site é acessado, em sua maioria, por homens. Do total de internautas, 74% são do sexo masculino, enquanto 26% são de mulheres. A idade média das pessoas que navegaram no canal oficial do STF no YouTube até o momento está entre 35 e 44 anos.

Como era de se esperar, o grosso dos acessos é de usuários no Brasil, mas a página já conta com internautas de todos os continentes e de países diversos como México, EUA, Alemanha, Malásia, Iraque, Egito e Holanda.

Os dados são do “YouTube Insight”, ferramenta que fornece estatísticas detalhadas dos vídeos postados no YouTube

Fonte: STF

  Categories:
ver mais artigos

Sobre o autor

Editoria
Editoria

Ver mais artigos

Nenhum comentário!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Adicionar um Comentário

Expresse aqui sua opinião comentando.