Segunda Instância

TIM deve indenizar cliente que teve o nome inserido indevidamente em cadastro de inadimplentes

O juiz Raimundo Deusdeth Rodrigues Junior, respondendo pela 17ª Vara Cível de Fortaleza, condenou a TIM Nordeste S/A a pagar indenização de R$ 5 mil para M.S.S.L., que teve o nome negativado indevidamente. A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico dessa terça-feira (05/07).

Conforme o processo (nº 55725-17.2009.8.06.0001/0), em agosto de 2008, a consumidora contratou serviço de banda larga 3G com direito ao uso de aparelho 3G durante 18 meses pelo valor de R$ 47,00. No primeiro mês, a empresa cobrou, indevidamente, R$ 568,42 e no segundo, R$ 438,26, sem que a cliente tivesse utilizado o serviço.

Ela pagou o débito em 5 parcelas, mas, mesmo assim, teve o produto bloqueado. A TIM continuou a enviar faturas. Em fevereiro e março de 2009 cobrou R$ 89,90 e, em abril do mesmo ano, R$ 28,90. Além disso, inseriu o nome da consumidora em órgãos de proteção ao crédito. Alegando ter passado por constrangimentos, ingressou com ação judicial de reparação de danos morais. A empresa não se pronunciou e foi julgada à revelia.

O juiz Raimundo Deusdeth Rodrigues Junior ressaltou que, “ao inserir o nome da vítima no cadastro de maus pagadores em razão de cobranças indevidas, se impõe a condenação de danos morais, já que a empresa não fez qualquer prova de regularidade de sua conduta”.

 

Fonte: TJCE

Comentar

You must be logged in to post a comment Login

Comentar

destaque

To Top