Mãe do dançarino DG agride repórter do jornal O Dia

Publicado por: redação
28/04/2014 10:25 PM
Exibições: 42

 

Cerca de 200 moradores das comunidades Pavão-Pavãozinho e Cantagalo caminharam na orla de Copacabana nesse domingo, 27, para pedir justiça pela morte de Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG, do programa ‘Esquenta’, da Globo. Ele foi morto na última terça-feira, 22, em confronto entre policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) e traficantes. Durante a cobertura da passeata, a repórter Maria Inez Magalhães, do jornal O Dia, foi agredida pela a mãe do dançarino, a enfermeira Maria de Fátima da Silva Pereira.
Maria de Fátima participou do 'Esquenta' especial em memória do seu filho (Imagem: Reprodução/Globo)
De acordo com o veículo carioca, moradores hostilizaram a imprensa durante a manifestação e expulsaram a repórter do ato. “Não quero falar sobre isso, me dá licença”, disse Maria de Fátima, que empurrou a profissional. “Sai daqui”, continuou. A reportagem de O Dia ainda relata que os manifestantes cercaram a jornalista aos gritos de “Você não é gente, você é lixo, você não é bem-vinda aqui. Tem que respeitar. Fora, fora, fora”.

 

Acuada, a repórter foi retirada do local com ajuda de outros jornalistas que cobriam a manifestação. Equipes das TVs Globo e Bandeirantes também foram rechaçadas. O editor-executivo do jornal, Alexandre Medeiros, afirmou que não há justificativa para a violência. “O jornal O DIA se solidariza com a dor da família, entende a tensão que tem sido enfrentada por ela nos últimos dias, mas rejeita qualquer tipo de agressão a seus profissionais, e aos de qualquer outro órgão de imprensa, por princípio”, escreveu em editorial da publicação.

 

Em seu perfil no Facebook, a jornalista comentou o caso. “O que não entendo é como podem rechaçar aqueles que estão do lado deles. O espírito de justiça, pra mim, tem outro comportamento”.

Fonte: COMUNIQUE-SE
Imagem: Reprodução/Globo

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Categorias:
Tags: