A Polônia lidera a resposta da Europa à invasão russa da Ucrânia

Publicado por: redação
01/02/2023 01:53 PM
Exibições: 172
Cortesia Editorial Pixabay
Cortesia Editorial Pixabay

A Alemanha e os Estados Unidos recentemente ganharam as manchetes ao decidir enviar tanques para a Ucrânia , como parte de um esforço para ajudar a melhorar as capacidades de defesa do país.

 

Os Estados Unidos enviou 250 tanques M1A2 Abrams e outros equipamentos de defesa, enquanto a Alemanha enviou seis tanques Leopard 2A6 para o Exército ucraniano. A medida tem como objetivo ajudar a Ucrânia a defender seu território contra a Rússia, que tem sido acusada de apoiar os separatistas pró-Rússia no leste do país.

 

O fornecimento de equipamento militar também ajudará a Ucrânia a melhorar sua capacidade de resistir à pressão militar da Rússia. No entanto, a Rússia condenou a iniciativa, acusando-a de violar os acordos de paz entre a Ucrânia e a Rússia. O envio de tanques para a Ucrânia também suscitou a preocupação de que pode provocar espirais de escalada armamentista na região, embora os Estados Unidos e a Alemanha tenham argumentado que o envio é estritamente defensivo.

 

Também pode desencadear uma resposta russa, já que a Rússia tem se mostrado cada vez mais disposta a usar a força militar para defender seus interesses na região. No entanto, o herói anônimo por trás dessa decisão histórica foi, na verdade, a Polônia, que foi a primeira a oferecer ajuda militar à Ucrânia. O envio de tanques foi apenas a última de uma série de ações tomadas pela Polônia para ajudar a Ucrânia a resistir à pressão da Rússia.

 

A liderança polonesa está ajudando a preencher um vácuo geopolítico criado pelo declínio da influência das forças de política externa tradicionalmente dominantes na Europa do Leste, como a Alemanha e os Estados Unidos. Ao oferecer equipamentos militares à Ucrânia, a Polônia está deixando claro que ela está pronta para se tornar um líder regional na região, assumindo o papel de defensor dos interesses e valores ocidentais.

 

Desde que a Polónia aderiu à União Europeia em 2004, os políticos de Varsóvia têm alertado a Europa para a crescente ameaça representada por uma Rússia ressurgente e revisionista. A Polónia não só se tornou o porta-voz desses medos, mas também tomou medidas para ajudar a Ucrânia, oferecendo treinamento militar aos militares ucranianos e participando de manobras conjuntas com as Forças Armadas ucranianas.

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Categorias:
Tags:

Mais vídeos relacionados