Métodos e técnicas de estudo

Publicado por: redação
28/03/2009 12:33 AM
Exibições: 46
Cortesia Editorial Pixabay
Cortesia Editorial Pixabay

Métodos e Tecnicas de Estudo

 

1. A MEMÓRIA E O SEU DESENVOLVIMENTO

Se pudéssemos sintetizar o que ocorre na mente de uma pessoa, poderíamos utilizar a seguinte expressão:

O CÉREBRO CONSTRÓI O MUNDO DE ACORDO COM OS INTERESSES PARTICULARES DO INDIVÍDUO.


Como dominamos tanta informação?


Atualmente, e de maneira genérica, podemos dizer que a mente humana está equipada com dois tipos básicos de memória:


•    memória ativa, também chamada de memória imediata;


•    memória de longo prazo, também chamada de memória remota.


Como funciona a memória:


Nas palavras de Barry Gordon, Chefe da Clínica de Desordens da Memória da Escola de Medicina John Hopkins, “o que consideramos memória são padrões de conexão entre células nervosas”.


Como atingir essa permissão para registro duradouro?


O hipocampo (pequena estrutura bipartida localizada no centro do cérebro) é quem autoriza o registro duradouro das informações.
Atualmente, as pesquisas indicam que duas situações influenciam o veredicto do hipocampo:


•    a informação merecerá esse registro se tiver significado emocional, ou melhor, terá mais possibilidade de registro quando maior a significação emocional da informação;


•    a informação terá maior probabilidade de registro se guardar correlação com algo que já sabemos.


Tendência da memória e causas que podem afetá-la:


A partir de tudo que dissemos, podemos afirmar que o cérebro armazena apenas a informação necessária, a informação que atende ao interesse do indivíduo, para o seu uso, isso porque o cérebro busca tornar o mundo do indivíduo gerenciável.


Assim, o cérebro busca se livrar do refugo da vida cotidiana, do lixo cerebral, focalizando essencialmente aquilo que lhe interessa.


2. DEGRAUS PARA O DESENVOLVIMENTO DA MEMÓRIA

Quando se pensa em estudo, deve-se pensar no desenvolvimento de todas as faculdades da mente ou no que ele significa no uso criativo, produtivo e adaptativo do raciocínio, da memória, do pensamento e da imaginação.


Podemos apresentar dez degraus para o bom desenvolvimento da memória, a fim de atingirmos excelência na memorização:


•    Primeiro: Interesse e autocontrole: dominar a sua disposição, disciplina.


•    Segundo: A memória aumenta proporcionalmente ao motivo.


•    Terceiro: A memória precisa ser disciplinada a obedecer, não podendo ceder aos caprichos da pessoa.


•    Quarto: Para memorizar com excelência, é preciso compreender o que está sendo memorizado. Quanto maior o significado, mais fácil e melhor será a memorização.


•    Quinto: Todo estudante precisa ter uma meta imediata e uma meta mediata para seus estudos. É impossível o desenvolvimento da memória sem um objetivo em vista. Você deve galgar passos diários, semanais e mensais.


•    Sexto: Você deve estabelecer a recompensa para você mesmo no desenvolvimento do seu estudo. A memória terá eficiência se a ela for associada a uma recompensa. É o princípio do reforço pela recompensa, pois a recompensa reforça a memória.


•    Sétimo:
    Fenômeno da reminiscência
    Princípio do espacejamento


O aprendizado deve ser espaçado. Deve haver intervalos durante o estudo para o desenvolvimento da memória.


•    Oitavo: Fazer mapas mentais. É por meio deles que a visão de conjunto será desenvolvida.


•    Nono: Este passo é o segredo para garantir a memória permanente: recitação.


•    Décimo: O último passo para um completo desenvolvimento da memória é aprender o conceito da memória seletiva.

 

A eficiência da memória é auxiliada pela estranha faculdade da mente humana – a capacidade de esquecer.


3. DESENVOLVENDO O MÉTODO DE ESTUDO

Já vimos que para termos excelência na memória precisamos dispensar total atenção ao que estamos estudando, por meio da técnica que passaremos a perseguir, utilizando o método da constante repetição.


O pesquisador Ebbing Haus, após anos de estudo, concluiu:


•    em uma hora, esquecemos 56% do que é lido;


•    em nove horas, esquecemos mais 8%;


•    em dois dias, esquecemos mais 6%;


•    em um mês, esquecemos mais 7%.

 

DICAS


•    Substitua suas anotações lineares por mapas mentais.


•    Trabalhe com, pelo menos, duas cores diferentes.


•    Dê exemplos práticos às matérias teóricas estudadas (jurisprudências).


•    Estude períodos de, no máximo, 50 minutos, descansando até, no máximo, 15 minutos (recompensa).


•    Resuma toda sua matéria em fichas de anotações e revise-as sempre, pelo menos uma vez por semana.


•    Estude ouvindo música clássica.


•    Faça refeições leves e mais freqüentes.


•    Faça exercícios físicos diários


•    Verifique se você é auditivo, visual ou sinestésico, para aplicar essa característica no seu estudo.


•    Memorize a matéria conforme aula anterior.

 

Tratando mais uma vez desse último tópico, é importante recordarmos que para uma boa memorização, você precisa: COMPREENSÃO – ASSOCIAÇÃO – REPETIÇÃO – MOVIMENTO (imaginar cenas acontecendo na vida real).

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Categorias:
Tags:

Mais vídeos relacionados