Engenharia Social nas Empresas: Cuidado Redobrado no Natal

Publicado por: redação
28/11/2011 09:30 AM
Exibições: 43

As festas de final de ano é muito utilizada por criminosos virtuais para falsificar e-mails e sites promocionais. É importante redobrar a atenção para que a rede ou o servidor da empresa  não seja invadida por esses vírus e tomar medidas que irão proteger desses riscos.

De acordo a  advogada Cristina Sleiman, especialista em Direito Digital, Engenharia Social é chamada por muitos como a "Arte de Enganar". "No campo da tecnologia seria a arte de ludibriar o usuário, leva-lo a erro e induzi-lo a ceder seus dados, clicar em determinado link, ou fornecer dados da própria empresa", explica.

Segundo a advogada, se os colaboradores das empresas não estiverem devidamente preparados, um simples clique em determinado link, pode afetar o seu negócio. Basta que a sua rede seja infectada com vírus de alta capacidade, para que suas informações sejam prejudicadas, danificadas, apagadas ou copiadas."Quem nunca recebeu um e-mail pedindo que atualize seus dados cadastrais bancários, caso contrário terá sua conta encerrada ou bloqueada, ou e-mails que utilizam assuntos em pauta como um desastre de avião, por exemplo, logo em seguida veremos mensagens intituladas "Veja as fotos do acidente x". relata Sleiman".

Para a especialista é importante redobrar a atenção nessa época de festas de final de ano para que empresas não sofram as conseqüências por ter sua rede paralisada por e-mails infectados.  "Trata-se de uma vulnerabilidade que pode ser tratada de forma lógica, no próprio dispositivo ao criar regras de bloqueio, e de forma pessoal, capacitando e conscientizando os colaboradores", alerta.

Se ainda tem duvidas se sua empresa corre riscos faça uma lista de informações essenciais que passam pela rede, a começar por protótipos que podem ser recebidos por e-mail, até emissão de nota fiscal eletrônica, a comunicação sobre um pedido, orçamentos, contratos digitalizados, informações de seus clientes e empregados, entre outros. "Lembre-se, informação é um bem econômico, ou seja, um ativo intangível e deve ser tratada como tal", conclui.

Cristina Sleiman é advogada e pedagoga, mestre em Sistemas Eletrônicos pela Escola Politécnica da USP e com extensão em Direito da Tecnologia pela FGV/RJ, Extensão Educador Virtual pelo Senac São Paulo em parceria com Simon Fraser University, professora de pós-graduação nas faculdades Impacta. Membro da Comissão de Crimes de Alta Tecnologia da OAB/SP. Atuou por 6 anos no Senac São Paulo em projetos de tecnologia em educação e, posteriormente, na Gerência de Sistemas com foco em Segurança da Informação. É ainda, Co-autora do pocket book e Audiolivro Direito Digital no dia-a-dia e das cartilhas Boas Praticas de Direito Digital Dentro e Fora da Sala de Aula e Gafes na Internet.

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Categorias:
Tags: