Mais trabalhadores americanos estão dedicando seu tempo para cuidar dos pais idosos

Publicado por: redação
14/12/2011 10:08 AM
Exibições: 103

Normalmente, costumamos não pensar neste tema, mas você já se perguntou a partir de quando terá que cuidar de um parente idoso?  E já pensou também como é que esta nova atribuição pode afetar você e o seu trabalho?

 

Uma pesquisa americana – The MetLife Study of Caregiving Costs to Working Caregivers – revela que a porcentagem de americanos que cuidam dos seus pais idosos triplicou desde 1994. O estudo foi conduzido pela MetLife Mature Market Institute, pela National Alliance for Caregiving e pelo  Center for Long Term Care Research and Policy at New York Medical College, todos defensores dos cuidados de longa duração.

 

Hoje, nos Estados Unidos, quase 10 milhões de adultos com idade acima de 50 anos cuidam de seus pais idosos. Estes cuidadores familiares também estão envelhecendo e ao mesmo momento em que prestam cuidados também precisam planejar e poupar para assegurar a própria velhice.

 

A pesquisa é uma interessante atualização do olhar sobre os filhos adultos que trabalham e cuidam dos seus pais e do impacto desta prestação de cuidados em seus rendimentos.

 

Segundo os dados do estudo, os cuidadores perdem cerca de US $ 3 trilhões em salários de pensão e benefícios da Previdência Social quando tiram uma folga do trabalho para ajudar seus pais idosos. O estudo revela que a perda média é de $ 324.044 para os cuidadores mulheres e $ 283.716 para os homens.

 

A pesquisa também nos informa que:

·       A percentagem de filhos adultos que presta cuidados pessoais e / ou assistência financeira a um pai idoso mais do que triplicou nos últimos 15 anos. Atualmente, este contingente representa um quarto dos filhos adultos americanos. Ainda segundo o estudo, filhos que trabalham e que não trabalham têm a mesma probabilidade de prestar cuidados aos pais necessitados;

 

·       Os filhos adultos de pelo menos 50 anos de idade que trabalham e prestam cuidados aos pais têm maior probabilidade (em relação aqueles que não fornecem o cuidado) de informar que sua saúde é regular ou ruim;

 

·       Em geral, filhos e filhas que prestam cuidados são comparáveis em muitos aspectos, mas as filhas são mais propensas a prestar cuidados básicos (ajuda para vestir-se, alimentação, banho) e os filhos são mais propensos a prestar assistência financeira;

 

·       Para as mulheres, o montante total individual dos salários perdidos, devido ao tempo dedicado aos pais idosos é igual a $ 142.693. O impacto estimado da prestação de cuidados na perda de benefícios da Previdência Social é de $ 131.351. O impacto estimado em matéria de pensões é de aproximadamente US $ 50.000, segundo o estudo;

 

·       Para os homens, o valor total individual dos salários perdidos devido ao tempo dedicado aos pais idosos é igual a $ 89.107. O impacto estimado da prestação de cuidados na perda de benefícios da Previdência Social é de $ 144.609. Uma estimativa do impacto sobre as pensões é de R $ 50.000.

 

O cuidador familiar precisa cuidar de si também...

“A pesquisa americana nos traz dados muito interessantes sobre as conseqüências econômicas dos cuidados que prestamos aos nossos pais idosos. Mas, tão importante quanto o impacto financeiro é o impacto emocional desta decisão: uma das coisas mais complexas e difíceis que uma pessoa pode experimentar é cuidar de um pai idoso”, afirma a médica Vanessa Morais, que dirige a VRMedCare, empresa especializada em cuidados domiciliares na terceira idade.

 

Segundo a médica, para tornar esta tarefa mais fácil é preciso aceitar que as coisas mudaram. Quando um pai idoso começa, de alguma forma, a depender dos cuidados dos filhos, “seu mundo pode virar de cabeça para baixo”.  “É preciso estar preparado para esse paradigma radicalmente novo. Papéis velhos podem não se aplicar, metodologias de idade não podem ser aplicadas, velhas emoções não podem ser aplicadas. Esteja preparado para  escrever  um script totalmente novo”, aconselha Vanessa Morais.

 

“Quando você começa a cuidar de seus pais, eles perdem a única coisa que sempre tiveram em relação a você: a autoridade. Pode não  ser fácil para eles ‘desistirem de sua autoridade’. Espere com paciência que eles trabalhem internamente esta perda”, aconselha a médica.

 

Para médica Renata Diniz, que também dirige a VRMedCare, empresa especializada em cuidados domiciliares na terceira idade, é muito importante dar autonomia ao idosos. “Na medida do possível, ofereça opções aos seus pais, ao invés de determinações, decisões tomadas, ordens a serem cumpridas. É importante que eles continuem a sentir que estão no comando da própria vida. Deixe-os decidir tudo o que puderem sobre seus próprios cuidados e situação”, recomenda.

 

“Uma ótima maneira de demonstrar amor e respeito por seus pais - e, principalmente, para afirmar para eles que eles ainda têm uma verdadeira importância para você - é, pedir-lhes conselhos sobre alguma coisa que esteja acontecendo em sua vida. Consulte-os sobre um problema ou decisão, eles se sentirão muito bem em poder ajudar”, diz Renata Diniz.

 

A médica destaca também que o cuidador familiar não pode esquecer de viver a própria vida. “Uma das coisas que mais precisamos na vida é a primeira coisa que  descartamos quando começamos a cuidar de um pai idoso: a diversão.  Não deixe de se divertir, de se cuidar bem, de fazer caminhadas, de comer direito, de namorar, de dar atenção à sua própria família... Sua vida ainda precisa de você”, destaca a diretora da VRMedCare.

 

E por fim, Renata Diniz afirma que é muito importante ter um amigo com quem contar. “Se você tiver um amigo com quem você possa regularmente se encontrar e conversar, ou mesmo conversar por telefone, faça isto. Durante este tempo de dedicação aos pais, o amor e o suporte de um amigo será inestimável para você. Compartilhar o que você está passando com alguém não diretamente envolvido com a questão pode ser muito reconfortante”, observa a médica.

 

 

Fonte: The MetLife

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Categorias:
Tags: