Sigilo nos gastos públicos da Copa de 2014 é uma porta aberta para corrupção e superfaturamento

Mais um absurdo envolvendo o nosso dinheiro, o dinheiro público, para a execução das obras dos estádios para a Copa de 2014. Uma Medida Provisória (MP – 527/11) permite a partir de agora que só órgãos de controle acessem dados sobre os gastos públicos para a realização do evento, mas sem poder divulgá-los. A assessoria da ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) afirma que a possibilidade de sigilo é prevista na Constituição “quando há interesse do Estado e da sociedade”.

Ler mais