Do preço e da dor

Pago diariamente o preço do stress para criá-los, torná-los seres humanos íntegros e capazes de construírem um futuro para si. Alego artigos do Código Civil para fazê-los cooperar, do Código Penal para alertá-los sobre condutas. Mas há duas coisas que meus braços não alcançam: o fortuito e o mundo de criança/adolescente em que convivem. Sobre o fortuito não cabe palavra, apenas fé. Mas sobre o mundo infantil, escandaliza-me o que vem acontecendo cotidianamente.

Ler mais