O Teletrabalho no Brasil

Publicado por: redação
17/07/2012 07:40 AM
Exibições: 99

Com a necessidade de se manterem competitivas, e com a obrigatoriedade de “fazer mais com menos”, as organizações passam a valorizar, e necessariamente realizar, o trabalho em rede. Isso permite a atuação em um espaço físico-virtual, deixando de dar ênfase à produtividade x resultados somente em seus espaços físicos, configurados nos escritórios.

Essa nova mentalidade possibilita mudanças significantes na organização e cultura empresarial, com foco maior em resultados tangíveis e intangíveis. É com esta perspectiva que o teletrabalho se configura como uma alternativa flexível de gestão empresarial  para atender o dinamismo do mundo de negócios, tornando as organizações mais competitivas.

Em linhas gerais, está comprovado que o teletrabalho proporciona redução de custo com as estruturas físicas; aumento da produtividade; ampliação da atuação em espaços geográficos sem criação de estruturas físicas; ocupação de novos mercados; melhoria da qualidade de vida dos colaboradores e, à empresa, imagem moderna e inovadora.

O Projeto de Lei nº 4505/2008, sancionada em dezembro de 2011, regulamenta o trabalho à distância, conceitua, disciplina as relações de teletrabalho e garante os mesmos benefícios segundo normas da CLT. Entre outras prerrogativas, o teletrabalhador tem o direito a salário, férias, feriados, licenças previstas na CLT e faltas por doença. A remuneração deve ser ajustada às horas normais de trabalho. O projeto prevê, ainda, que o trabalhador a distância deve, entre outras obrigações, ser habitual na execução de tarefas e prestar contas quanto a gastos ordinários e extraordinários decorrentes de suas funções.

Cabe aqui salientar que o contexto do teletrabalho não envolve apenas aspectos tecnológicos e legais, sendo esses somados a aspectos individuais, organizacionais e globais que devem ser considerados.  Favorecendo a necessidade de equilibrar a vida profissional com a vida pessoal, este formato de trabalho proporciona um melhor planejamento de tarefas, com foco na produtividade e resultados, e colaborando com a qualidade de vida e cuidado com o meio ambiente. Reforça-se aqui um excelente aspecto de atração e retenção de profissionais, uma vez que favorece a autonomia no trabalho e permite a flexibilidade em horas e local de execução das atividades, bem como a demonstração de uma relação de confiança com o trabalhador.

O mundo dos negócios requer novos estilos de gestão do trabalho. Os gestores de pessoas possuem grandes desafios: precisam acompanhar as tendências, estar preparados para gerir as mudanças com a preocupação em promover o contentamento das pessoas na organização, atrair e reter os melhores profissionais, entender e intermediar às expectativas individuais e o cumprimento das metas organizacionais com foco em resultados.

Edna Rodrigues Bedani é Mestre em Administração pela UMESP, com especialização em Gestão Estratégica de RH e graduada em Psicologia pela FMU. Atualmente é Diretora de RH e Responsabilidade Social na Ticket - Edenred. Atua principalmente nos seguintes temas: Gestão Estratégica de Pessoas, Processos e Projetos de RH com foco em Atração e Retenção de Pessoas, Liderança, Carreira e Sucessão. Atua na área de Recursos Humanos há mais de 20 anos, em empresas como Grupo Pão de Açúcar, VDO-Siemens, Accenture do Brasil e Ticket - Edenred. É professora Universitária em cursos de  Graduação, Pós Graduação e MBA  em disciplinas da área de Gestão de Pessoas, Competências , Educação Corporativa  e Liderança.

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

  • Acácia-Lima
Categorias:
Tags: