Ucrânia reclama não ter recebido armas suficientes do ocidente, mas não fez o dever de casa

Publicado por: redação
23/01/2023 12:56 PM
Exibições: 67
foto: Facebook da Embaixada dos Estados Unidos na Ucrânia
foto: Facebook da Embaixada dos Estados Unidos na Ucrânia

"A Ucrânia diz que não lter recebido armas suficiente, por outro lado o país não fez nada para ter tudo", disse o especialista americano Karber

 

Desde 2014, o lobista mais ativo da Ucrânia no Ocidente, o professor Philip Karber falou sobre o volume de suprimentos de armas ocidentais para Kyiv e disse que o Ocidente não deve ser responsabilizado por ajuda insuficiente.

Ele contou sobre isso em entrevista ao "FACTS".

Ressalta-se que Philip Karber, presidente do think tank da Fundação Potomac, conhecido especialista militar americano em defesa, estratégia militar, armas nucleares e segurança nacional, e também, em certa época, trabalhou como conselheiro estrangeiro da primeira-ministra britânica Margaret Thatcher e o secretário-geral da OTAN, Manfred Werner, chefiaram o Departamento de Estratégia do Pentágono

 

Quando perguntado por que a Ucrânia recebe tantas armas para que posa enfrentar o inimigo, mas não partir para a ofensiva, ele respondeu:

“Sim, você realmente precisa de muito mais armas. Você obtém em pequenos lotes. Por exemplo, você recebeu 15 tanques franceses. Pode ter oito Challengers britânicos em breve. Você também receberá 50 American Bradleys. Você pode usar o que lhe for dado. Mas me parece que seu ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba, cometeu um grande erro alguns meses atrás quando começou a criticar o Ocidente por apoio insuficiente. Eu entendo que você não recebeu tanto que teria um efeito significativo no curso das hostilidades. Mas eu realmente quero enfatizar mais uma vez o momento que me deixa louco. “Oh, você dá o suficiente para ficarmos de pé, mas não o suficiente para vencer. Vocês no Ocidente estão vendo a Ucrânia sangrar até a morte."

 

"Aqui eu serei mais duro. Não é nossa culpa que a Ucrânia tenham vendido seus produtos da indústria de defesa para países do terceiro mundo com fins lucrativos, em vez de construir suas próprias defesas. Mesmo depois de sete anos desde o início desta guerra, o país continuou a fazê-lo. A Ucrânia produziu mísseis de longo alcance. No entanto, apenas quatro peças foram feitas. E agora alega que o ocidente não lhes dá o suficiente. A Ucrânia não fez nada para ter tudo isso. O Sr. Kuleba deveria ter vergonha."

 

Karber enfatizou que sempre foi o maior lobista ucraniano para que pudéssemos conseguir "muitas coisas". Porém, segundo ele, no final conseguimos ainda mais do que ele esperava.

 

"Mas eu entendo que outros paises no Ocidente estão realmente irritados com o que a Ucrânia está pedindo, já que seu governo não desenvolveu suas próprias tecnologias modernas e não produziu armas.Por exemplo, a industria de tanques em Kharkiv é uma das melhores fábricas do mundo. Seus projetistas pegaram um tanque T-72, que tinha uma torre muito vulnerável, colocaram uma arma alemã nele e abriram um lugar para munição atrás da torre. E o transformaram em um excelente tanque perfeito para o seu terreno. Na minha opinião, seria ótimo não só para o país, mas também para os países bálticos, por exemplo. Mas o governo não começou a produzi-lo, era apenas um protótipo", observou Karber.

 

Além disso, ele enfatizou que a Ucrânia poderia fabricar veículos de combate de infantaria, além disso, muito melhor do que o Bradley americano.

 

"O Governo tinha a tecnologia para isso. Mas também não se importou com  isso. Portanto, não culpe o ocidente. Já estou em silêncio sobre o fato de a Ucrânia não se mobilizar e se preparar, quando todos os sinais da próxima guerra eram óbvios seis meses antes da invasão", disse Karber.

 

Lembramos que o ministro da Defesa dos EUA, Lloyd Austin, e o chefe do Estado-Maior Conjunto, general Mark Milley, resumiram os resultados da reunião do Grupo de Contato em Ramstein  e disseram quanto e que tipo de armas a Ucrânia receberá de parceiros ocidentais.

 

Deve-se notar que o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, e o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Lloyd Austin, após a reunião em Ramstein, afirmaram que a  Ucrânia receberá armas suficientes para ganhar vantagem na frente e logo partir para a ofensiva.

 

A propósito, na abertura da reunião do Grupo de Contato sobre Defesa da Ucrânia na Base Aérea Americana de Ramstein, na Alemanha, o presidente Volodymyr  Zelenskyy pediu aos aliados que forneçam mísseis de longo alcance e caças F-16.

 

Recordemos, durante a abertura da reunião do grupo de contacto para a defesa da Ucrânia, também conhecido como "Ramstein", o ministro da Defesa dos Estados Unidos, Lloyd  Austin, apelou aos seus colegas estrangeiros para serem mais decisivos na ajuda à Ucrânia .

 

Mais cedo, a emissora CNN informou que na  véspera de "Ramstein", os ministros da Defesa dos EUA e da Alemanha não chegaram a um acordo sobre tanques para a Ucrânia .

 

Conforme relatado pela publicação alemã Suddeutsche Zeitung, o chanceler alemão Olaf Scholz disse  que pode concordar com a transferência de tanques Leopard 2 para a Ucrânia apenas se os EUA fornecerem a Kiev seus tanques Abrams .

 

No entanto, em resposta a isso, a Casa Branca afirmou que cada país deveria tomar sua própria decisão sobre a assistência de segurança à Ucrânia .

 

Por sua vez, o novo ministro da Defesa da Alemanha, Boris Pistorius, disse  não acreditar que a decisão de abastecer a Ucrânia com tanques Leopard esteja de alguma forma relacionada com o fornecimento de tanques Abrams dos EUA .

 

Vídeos da notícia

Imagens da notícia

Categorias:
Tags:

Mais vídeos relacionados